Category Archives: Liga Zon Sagres

O que o futuro nos reserva.

João Moutinho vestido de verde-e-branco. É uma recordação do passado. Agora deparamos com um meio campo do Sporting recheado de qualidade e capacidade, se bem que é notória a falta do Rinaudo, para articular a defesa e o meio campo.

Não é o regresso do João que é o cabeça-de-cartaz para o espectáculo de amanhã, mas sim, a possibilidade do Sporting ficar a três pontos dos actuais detentores do título. Se perder, considero bem capaz o afastamento do Sporting da luta pelo título. Com o empate, o claro beneficiado é o Benfica que distancia-se dos adversários em caso de vitória nesta jornada.

Hoje o Público (http://desporto.publico.pt/noticia.aspx?id=1527853) revela que o Sporting tem preparado um grande ambiente de hostilidade para o clássico de amanhã. É um claro volte-face nas políticas que vinham a ser abordadas pelos dirigentes do clube ao longo dos últimos anos. A relação com os rivais não é claramente a mesma. Se houve polémica com a venda dos bilhetes no dérbi da Luz, agora pode estar o verniz com esta dimensão toda em torno da recepção da equipa do Norte. Mas posso ajudar as mentes mais esquecidas que na altura que o Porto jogava no Estádio das Antas, a recepção aos adversários não era muito diferente. Podem acompanhar por aqui http://www1.ionline.pt/conteudo/73287-ivkovic-nas-antas-o-balneario-cheirava-sempre-bagaco.

Leiam aqui o comunicado oficial do Sporting acerca desta polémica (http://www.sporting.pt/Noticias/Futebol/Fut_Prof/notfutprof_futcomunicado_060112_86213.asp)

Aqui apresento as estatísticas do último derbi. É caso para dizer: Descubra as diferenças.

Seja como for, são 11 contra 11. E neste caso quem ganha não é a Alemanha.

Este blog irá a partir de agora ter uma actualização quinzenal. E pede-se aos leitores que comentem para que enriqueçam o debate em torno de cada post.

Anúncios

Pega-se o touro pelos cornos!

Sporting mete finalmente a quarta e assim sendo consegue ser o terceiro classificado à condição, faltando ver o que o Vitória de Guimarães consegue ver logo à noite frente ao Portimonense em jogo de encerramento da jornada. Mas o que é de destacar é a vitória por 2-1 frente ao Leiria.

Com a estatística recente favorável ao Leiria, que desde 05/06 não perdia em casa frente ao Sporting, com uma época pelo meio em que não jogaram entre si, o Sporting procurava dar continuidade às 3 vitórias alcançadas em outros tantos jogos anteriores, e também a procurar alcançar a 2 vitória fora de portas, a equipa de Alvalade, face à escassez de jogadores, causado pela razia de lesões esta semana, apresentou alternativas, que acabaram por fazer toda a diferença.

Com uma disposição tática 4-2-2-1-1, ou seja, meio campo constituído por Maniche e André Santos, alas efetuadas pelo João Pereira e Vukcevic, e Valdés numa posição de 10 ou falso avançado, e a frente de ataque entregue a Postiga, foi o chileno que abriu as hostilidades com um bom golo, e assim sendo fazendo o primeiro golo com a jersey verde desde a sua contratação no presente ano.

Passados oito minutos, sensivelmente, uma descoordenação total da defesa leonina, com muitas culpas para o argentino, novidade no onze, Torsiglieri, que falhou o corte, o jogador que em tempos chegou a ser falado para efetuar parceria com Liedson, Carlão, efetuou a igualdade no marcador. 1-1 no marcador. Novamente o Sporting continua a marcar passo no jogo, apesar de ter maior posse de bola, até que à entrada da área, o Valdés, que já tinha feito o gosto ao pé, marca desta vez um grande golo, que entrou na baliza a mais de 100 km/h.

Ao intervalo, pela primeira vez esta época, o Sporting já tinha feito dois golos. Na segunda parte, o Sporting mostrou a sorte, ou a falta dela, que anda a assombrar nos últimos tempos. A equipa que mais remata na liga, falhou por diversas vezes o golo, que acabou por não entrar. Numa segunda parte sem muita estória, destaca-se para a equipa de Caixinha a grave lesão de M. Soares que num remate efetuado à baliza leonina, acaba por partir a perna e irá parar pelo menos 3 meses.

De destacar também para o lado da equipa leiriense, a presença do ex-jogador mais acarinhado pela massa adepta do Sporting, Sá Pinto, que se mostrou profissional durante o jogo, (destacar que não festejou o golo do brasileiro Carlão), e que no fim do jogo acabou por ir abraçar também os jogadores com quem chegou a trabalhar na época passada.

Esperemos que o Sporting continue a sua senda de vitórias, já na próxima quinta frente ao Gent, a contar para a Liga Europa, onde na Bélgica já poderão, em caso de vitória garantir a vitória.

Nota: Na medida do possível, O Chuto Final, começará a adotar o novo acordo ortográfico nos seus textos.

Depois de tanta salganhada destas semanas, vem aí a Liga…

Depois dos lamentáveis episódios em torno da selecção nacional durante estas duas semanas, marcado pela demissão do seleccionador nacional, e também pelos resultados desastrosos frente ao Chipre e à Noruega, é agora o regresso da Liga Zon Sagres, que marca o regresso do futebol nacional ao panorama futebolistico.

Também neste regresso tenho de destacar algo que não comentei. A aquisição de dois jogadores interessantes para o Sporting. Hildebrand vem para o Sporting, a custo 0, o que é sempre de louvar, e também Tales, um médio criativo que vem por empréstimo, contudo sem opção de compra. Não vou comentar em termos técnicos e afins, pois acredito que este tema já foi debatido e não vale a pena insistir mais no assunto. Contudo é de referir algo que tem sido pouco vinculado pelos meios de imprensa. A opção de compra que não existe no contracto de Tales tem uma justificação. O jogador brasileiro, ao que tudo indica, está em final de contracto, e até por isso não vale a pena efectuar essa opção que é frequente nas aquisições por empréstimo.

Agora voltando para o jogo de logo à noite frente ao Olhanense. Uma coisa que não pode acontecer é o que se passou ao ano passado, depois de ter estado a perder por 2-0. O que valeu é que se conseguiu dar a volta ao resultado. Mas o que importa referir é que o ano passado já lá vai e não vale a pena mostrar aqueles “fantasmas” para atormentar. Este jogo, irá marcar o regresso à titularidade de João Pereira ao lugar de defesa direito, e também o ingresso no lote de convocados de Torsiglieri, sendo posto de parte Polga, que já começa a ser posto de parte.

Avizinha-se uma vitória do Sporting, mas um pouco suado, dado que esta equipa pode vender cara a derrota, já que esta é uma das poucas equipas que ainda não perdeu para o campeonato este ano. Mas hoje o Sporting tem uma motivação especial. O próximo adversário da liga perdeu ontem e se ganhar, ficarão com uma vantagem de 6 pontos, o que dá uma vantagem moral. Mas hoje não se pode pensar no jogo de dia 20. O mais importante neste momento é o Olhanense. E alcançar os 3 pontos em Alvalade que darão aos seus adeptos o regozijo que poderem alcançar 4 vitórias seguidas.

É de vitórias que o povo gosta!

Ontem assistiu-se a mais um trunfo do Sporting, no bom seguimento das vitórias alcançadas durante a semana anterior. Desta vez, a vítima foi a Naval que perdeu por 3-1, com golos de Liedson, M. Fernandez e Djaló, sendo o golo da Naval apontado por J. Pedro.

Jogo que na primeira parte, destacou-se pelo pendor ofensivo do Sporting, com uma bola ao poste, e um golo de Liedson, que parte de uma posição irregular, mas mesmo assim é validado pelo árbitro madeirense, Elmano Santos.

Segunda parte aparece com mais golos, com uma grande penalidade resultante de uma falta sobre Liedson, que Matias cobre para o 2-0 e o seu segundo golo no campeonato. 10 minutos depois, após um lançamento lateral a Naval dá autenticamente um brinde a Djaló que aproveita para fazer o 3-0. Com a equipa mais relaxada, Paulo Sérgio aproveita para lançar jogadores que precisam de ganhar confiança e minutos de jogo, como o caso de Zapater ou de João Pereira que regressa da lesão craniana. Com Zapater em campo, o Sporting tem 10 de azar, com alguns erros sucessivos do recém convocado à selecção AA e é aos 75 minutos que a Naval reduz e dita o resultado final.

Neste jogo destaco a boa exibição dos jogadores chilenos e de referir que este bom momento de forma faz com que o Sporting passe estas duas semanas de pausa no terceiro lugar do campeonato, atrás de Porto e Braga que se confrontam na próxima jornada.

Hoje é o último dia de transferências e é conhecido que o Sporting anda à procura de um avançado alto para cima de 1,90 e de um extremo rápido bom de bola. Características que se tornam difíceis de encontrar por um bom preço. Veremos o que a direcção leonina oferece a Paulo Sérgio no dia de hoje.

Sem pinheiro, mas com muito verde…

Hoje às 20:15, o Sporting tem de dar o melhor seguimento à vitória na Liga Europa, ou seja significa que temos de ganhar à Naval.

Hoje a equipa vai muito motivada à Figueira da Foz , não só pelos bons resultados obtidos recentemente, como também devido a factores psicológicos individuais. Desde logo, o regresso de J. Pereira à competição após o infortúnio do último jogo da liga. Também na defesa, Nuno A. Coelho está motivado, pois acaba de ser pela 1ª vez convocado para a selecção das quinas, e também no ataque, pois os avançados correm o risco de perderem o lugar para o mais recente reforço leonino. Ao que tudo indica, poderá ser o avançado argentino Di Santo. Mas, independente disso, o Sporting terá de ganhar para voltar a ficar em vantagem sobre um concorrente directo, e aproximar-se dos adversários na luta pelo título que ganharam no dia de ontem frente aos seus opositores.

No totobola de hoje aposto numa vitória confortável do Sporting, basta estar com a pontaria afinada.

Matigol também resolve…

Sporting conseguiu arrecadar os três pontos diante do Marítimo graças a um penalti convertido por Matias Fernandéz, já ao cair do pano, ditando o resultado final de 1-0. Este resultado espelha bem a intranquilidade que se vive no seio do leão, que agora começa a abrir os olhos para a nova temporada, e uma vitória apresenta a moral sempre precisa para o próximo jogo.

No início do jogo, o Sporting apresentou duas novidades. A primeira, mais  notória, foi a inclusão de Zapater no onze inicial, algo que desde da sua contratação desejei, mas para uma melhor adaptação só foi possível à segunda jornada da Liga Zon Sagres. A segunda novidade recaiu num novo esquema táctico do Sporting, desta vez num 4-2-3-1, com Zapater e André Santos num sector mais recuado, Maniche a fazer uma espécie de 10 abrindo as alas para Vuk e Djaló, com o Liedson a ter os cargos de ponta-de-lança.

Na realidade, e como seria previsível, o Sporting entrou como habitual a mandar no jogo, mas apenas no sector do meio campo, sendo que na hora de rematar, na primeira parte, apenas se registava os apontamentos do número 77, portanto de Vukcevic. Numa primeira parte, onde o Marítimo baseava-se no contra-ataque, sendo que a defesa leonina tinha uma pressão alta, e recorreria-se a Patrício como um autêntico líbero, sendo que essa função foi desempenhada tantas vezes que no final da primeira parte, num lance destas características, valeu a João Pereira uma visita ao hospital com um traumatismo craniano, fruto de joalhada de R. Patrício, numa das suas saídas. Com esta lesão, valeu-se da polivalência de Carriço, colocando-o à direita, e saltando Polga do banco para o centro da defesa, fazendo parelha com Nuno André Coelho. Portanto a primeira parte não deixa muita históia para contar.

Na segunda parte, começa com o natural pendor ofensivo do Sporting, com várias ocasiões, tanto de Vuk como de Liedson, que neste jogo voltou a ter uma das suas birras, tanto com Vuk, como mais à frente com Matias, pois ele queria marcar o golo, ou pelo menos o penalti, e mostra que ele merece uns dias no banco de suplentes, para pelo menos ganhar alguma maturidade que devia ter com a sua idade. Mas retomando ao jogo. O Sporting, num esquema muito estranho na segunda parte, digno de desenho do surrealismo de Picasso, com André Santos mais recuado a Zapater, que por sua vez fazia parelha com Maniche, Vukcevic fazia dupla com Liedson, apesar do montenegrino estar uns metros mais recuado e descaído para a direita, e Djaló andava à solta na esquerda, valeram ainda um susto quando numa situação ofensiva dos madeirenses, Patricio saí mal, e Cherrad aproveita para fazer um balão de todo o tamanho, que passa caprichosamente ao lado da baliza verde-e-branca. A partir daí, apenas em ocasiões esporádicas, o Marítimo conseguiu ter a bola, sendo o domínio total dos visitados que foram parados com um recurso constante à falta. Contudo, passava os muitos e o golo não aparecia, até que Liedson, faltava três minutos para o fim do tempo regulamentar, cai dentro da grande área, com falta de Tchô, à qual Bruno Paixão assinala, correctamente, grande penalidade, que Matias Fernandez, acabado de entrar aproveita para por as redes a abanar com um golo que deixou todo o estádio um sentimento de alívio enorme.

Sporting soma os primeiros três pontos do campeonato, e agora ganha um alento maior para o próximo jogo do Brondby, a contar para a Liga Europa, e que temos de fazer a reviravolta de 2-0, sem um jogador fundamental que é João Pereira. Resta saber se Paulo Sérgio neste jogo faz alguma experiência, ou aposta nos experientes para conquistar a presença na fase de grupos da segunda maior competição da Uefa.

Vital é marcar!

Hoje é necessário que o Sporting mostre a outra face, a face de goleador, contra o Marítimo hoje às 18:00 no Alvalade XXI.

Contra uma equipa que também vem de uma derrota na ressaca das competições europeias, o Sporting, como tenho referido nos últimos dias, tem de demonstrar um maior fulgor ofensivo, de maneira a arrecadar os três pontos e  de modo indirecto ganhar vantagem a um adversário directo que se atrasou ainda mais na luta pelo título na Choupana, frente ao Nacional.

Ao que tudo indica Liedson será titular. A história recente indica que o Levezinho tem preferência pelos golos frente à equipa insular, mesmo marcando o primeiro golo frente a estes pelo Sporting, na Liga Portuguesa. Ao invés, Valdés está em dúvida, devido a sintomas de gripe. Na minha opinião devia ser relegado para o banco de suplentes. Jaime ainda não se adaptou a Portugal da maneira que os adeptos leoninos desejavam, e agora Paulo Sérgio das duas uma, ou aposta no Matias Fernandéz para fazer o corredor esquerdo passando o direito para Simon Vukcevic, ou aposta numa troca directa com Djaló. De qualquer uma das maneiras, a única dúvida para P. Sérgio refere-se aos extremos para ganhar uma maior verticalidade ao pendor ofensivo da equpa do Sporting.

Em últimas linhas, gostava de perguntar quando é que PS aposta no Zapater? Já afirmou para não desesperar, pois dá a entender que ainda não está adaptado ao Sporting. Contudo se jogar como é que se adapta? P. Sérgio, põe mas é Zapater a jogar, nem que seja só a segunda parte!

E que a Liga comece!

E vamos nós para mais uma época recheada de golos, espectáculo, euforia mas também tristeza, e sem deixar de incluir uma coisa que não valorizo muito, polémica.

O Sporting começa hoje a sua epopeia frente ao Paços de Ferreira, na Mata Real. É um adversário que merece respeito, já que nos últimos tempos o Sporting raramente saí deste estádio com os 3 pontos na mão. Contudo, e como sportinguista, acredito que o Sporting parte, naturalmente, como favorito.

Neste jogo há que analisar a evolução da equipa, sobretudo depois da 2ª parte menos conseguida do último jogo, mas temos é de por de parte os fantasmas da época passada, e pensar que o Sporting vai rugir nesta nova saga que começa agora.

O Paços de Ferreira apresenta-se com uma equipa ligeiramente diferente da época anterior. Primeiro. apresenta um novo treinador, Rui Vitória, vindo do Fátima (lembram-se daquela equipa sensação que eliminou o Porto e por pouco não eliminava o Sporting?). Pois bem, agora tem uma oportunidade de treinar uma equipa de primeira liga, que conta com algumas caras novas, desde logo, com um jovem jogador promessa. Caetano, um ponta de lança promissor, mas ainda tem cartas para dar, mas o Paços de Ferreira, apesar de contar com vários novos jogadores, é uma equipa que vale pelo colectivo, com muita entrega ao jogo.

Veremos hoje à noite se, como Paulo Sérgio pede, o Sporting dá sempre mais um pouco que o Paços, uma das suas antigas equipas, e que alcance a vitória.